A água potável limpa, segura e adequada é vital para a sobrevivência de todos os seres vivos e para o funcionamento dos ecossistemas, comunidades e economias. Palavras da Organização das Nações Unidas (ONU), que desde o início do século vem dedicando especial atenção à questão.

Estima-se que mais de 780 milhões de pessoas no planeta não tenham acesso a água potável de qualidade (fontes protegidas de contaminação externa). Segundo dados da ONU, a cada dia, milhões de toneladas de esgoto tratado de forma inadequada e resíduos são despejados nas águas de todo o mundo, enfraquecendo ou mesmo destruindo ecossistemas naturais. Pior: o planeta caminha para uma crise de desabastecimento de água, e 40% da população mundial já sofrem as consequências.

Como o quadro atual pode ser revertido? Governos, empresas e cidadãos são responsáveis, mas é urgente tomar consciência do problema e de sua complexidade. Veja a seguir alguns dados que podem ajudá-lo a compreender mais sobre a crise da água, e pequenas atitude do dia a dia que ajudam a combater o desperdício.

Leia também: No Brasil, boa parte da população não tem acesso a água potável

Reúso, reciclagem e recuperação

Em março deste ano, em relatório lançado no Dia Mundial da Água, a ONU destacou o tratamento e a reutilização de águas residuais (com características alteradas após o uso humano e vulgarmente conhecidas como esgoto) como uma solução para combater a escassez do recurso. De acordo com especialistas, as águas residuais devem se tornar uma fonte alternativa e confiável, seguindo o paradigma de “reúso, reciclagem e recuperação”.

Na maioria dos países, com exceção dos mais desenvolvidos, 95% dessas águas são despejadas sem tratamento adequado, causando impactos negativos na saúde, na produtividade econômica, na qualidade dos recursos hídricos e nos ecossistemas. Nos oceanos, existem zonas “mortas ou desoxigenadas” em decorrência do lançamento das águas residuais não tratadas, que já atingem 245 mil km2 (quase três vezes a área de Portugal).

Os dez mandamentos da economia de água

Algumas medidas simples podem contribuir com um uso mais consciente da água:

  • Feche a torneira ao escovar os dentes.
  • Prefira torneiras com saída única de água para que a água já saia misturada (quente e fria), facilitando o ajuste de sua temperatura.
  • Faça xixi durante o banho, de modo a economizar uma descarga (12 litros de água potável).
  • Passe menos tempo no banho.
  • Evite banhos de banheira; prefira os de chuveiro com duração de cinco minutos.
  • Feche a torneira ao lavar a louça e enxágue-a toda de uma vez.
  • Use roupas e toalhas mais de uma vez para economizar na lavagem.
  • Regue as plantas apenas quando necessário, preferindo os horários mais frescos.
  • Ao lavar o carro ou a calçada, use o balde em vez da mangueira.
  • Faça a manutenção das torneiras regularmente e/ou troque modelos antigos por novos com sensores.

E o que nós, da Coca-Cola Brasil, estamos fazendo?

A Coca-Cola Brasil vem fazendo sua parte. A construção da Unidade Fazenda Rio Grande da Fábrica Leão Alimentos e Bebidas, inaugurada em 2009 no Paraná, seguiu padrões de sustentabilidade, implantando torneiras que captam a água da chuva para a limpeza de áreas externas, o que garante uma economia de 36% no consumo mensal do recurso.

Mais importante ainda, a empresa não só não desperdiça uma gota de água sequer como também devolve o dobro do volume de água que utiliza na produção de suas bebidas. Nos últimos anos, a Coca-Cola Brasil tem investido fortemente na modernização das linhas de produção para reaproveitamento de água, seja para lavar garrafas retornáveis e equipamentos, seja para torres de refrigeração e outros usos.

Já foi possível reduzir em 28% o volume de água necessário para produção de um litro de bebida em nossas fábricas, desde 2000. Além disso, a companhia está envolvida em projetos de conservação e restauração de mata ciliar — aquela que fica nas margens dos cursos d’água —, e de áreas de reposição de bacias hidrográficas, que, aliados a outras iniciativas, ajudam a devolver à natureza o dobro da água consumida nos processos produtivos.

Saiba mais: Entenda como o Sistema Coca-Cola Brasil devolve o dobro da água que usa para produzir bebidas

Texto produzido por Ecoverde Conteúdo Jornalístico