Morador da comunidade Santa Cruz, na periferia de Salvador (BA), Neilton Santana, 36 anos, cresceu com a certeza de que poderia mudar a realidade e enfrentar a injustiça social. Foi assim que ele começou um trabalho comunitário relacionado a educação de jovens e criou novas oportunidades para a sua própria vida. Hoje, trabalha em uma empresa parceira do Sistema Coca-Cola Brasil. “A transformação acontece pela educação. Ela me mudou. Sabia que para ter oportunidades precisava me capacitar”, conta.

Tudo começou quando era criança. Sem condições financeiras, a mãe permitiu que Santana fosse criado pelos tios. Apesar das poucas oportunidades, ele sempre lutou para conquistar seu espaço e auxiliar outros jovens. Foi assim que passou a participar de eventos beneficentes promovidos por igrejas da comunidade.

Conheça também as histórias de Lorena Couto e Dona Nerina.

Desse trabalho de liderança, surgiu a oportunidade de ser educador no Coletivo Jovem – programa do Instituto Coca-Cola Brasil, que capacita jovens entre 16 e 25 anos. Por sua idade e experiência, encontrou com facilidade instrumentos para mudar sua própria vida e a de outras pessoas. “O Coletivo ampliou minha visão do mundo. Me reconheci naqueles jovens que educavam. Era minha chance de mudar algo”, relembra.

No período que ficou no Coletivo, Santana ministrou aulas que iam da capacitação em varejo, logística e eventos à criação de planos de carreira, passando pelo desenvolvimento de habilidades socioemocionais. As aulas proporcionaram a conquista do primeiro emprego para centenas de alunos. “O meu maior salário era ver as pessoas transformadas. Isso me motivava. Eu era o instrumento de mudança de vida delas”, diz, emocionado.

A estudante de pedagogia Michele Araújo, 19 anos, foi uma de suas alunas que conquistou o primeiro emprego como educadora no próprio Coletivo Jovem. “Ele foi um grande exemplo de pessoa e profissional ao ensinar de uma maneira compreensiva e divertida”, conta Michele.

Neilton Santana

A estudante de pedagogia Michele Araújo, 19 anos, foi uma das alunas de Santana

Thaís Antunes/Maker Brands

Coletivo Jovem

O Coletivo Jovem capacita jovens de 16 a 25 anos na busca pelo primeiro emprego. Além de ajudar a conectá-los com o mercado de trabalho, o programa também desenvolve habilidades para o desenvolvimento pessoal. Para Santana, esse é um grande diferencial do projeto. “O trabalho é ponte para o crescimento. Os jovens se empoderam quando aprendem”, explica.

“Nas aulas do Coletivo, os alunos aprendem sobre ética e profissionalismo e desenvolvem habilidades e conhecimentos sobre discussões recorrentes e atuais da sociedade”, destaca Érica Reis, analista do Instituto Coca-Cola Brasil.

Próprias oportunidades

Empoderados e capacitados, os jovens começam a traçar o caminho que gostariam de seguir. Assim, buscam novas oportunidades. Santana, por exemplo, sonha em entrar na universidade. “Quando entrei no Coletivo percebi a importância do ensino superior e, principalmente, que eu seria capaz”, diz o ex-educador do programa, que pretende cursar Administração. “Hoje é meu sonho e quero que meu filho de 10 anos já cresça com essa perspectiva”.

Nas aulas, Santana questionava os alunos sobre suas futuras escolhas. “Alguns não sabiam, mas eu sempre dizia que tinham algo em que eram bons. Quando alguém acredita em você, facilita muito o caminho”. E, pelo líder inspirador que é, ele acabou recebendo uma proposta de emprego em uma empresa de tecnologia da informação. O desejo de ensinar e aprender continua vivo. “Ainda quero crescer muito e até ministrar capacitações na empresa”, afirma, animado.

Texto produzido por Maker Brands