Existem mais de 3,8 milhões de “vending machines” (máquinas de venda automática) no Japão. Quase um milhão delas vende produtos Coca-Cola, e existem muitos fatos intrigantes e histórias inesperadas sobre essas máquinas.

1. No Japão há cerca de 3,8 milhões de “vending machines”.

Desse total, 2,2 milhões vendem refrigerantes.

2. Essas máquinas operam no Japão há mais de cinquenta anos.

Existem aproximadamente 980 mil “vending machines” do sistema Coca-Cola no Japão – a Coca-Cola tem a maior participação no mercado de máquinas de venda de refrigerantes no país. A primeira máquina de venda de Coca-Cola começou a operar em 1962, quando o sistema apresentou a primeira máquina engarrafadora de bebidas gasosas de fabricação nacional. A Coca-Cola tinha um forte desejo de oferecer o refrigerante gelado “onde, quando e a quem quisesse”, e, meio século depois, os frutos desse desejo podem ser vistos em toda parte no Japão. 

3. As “vending machines” japonesas informam sua própria localização.

Desde 2005, todas as máquinas de venda automática do Japão estão equipadas com um adesivo que mostra sua localização. Em uma iniciativa conjunta da indústria dessas máquinas, da polícia e dos corpos de bombeiros, esse adesivo permite aos serviços de emergência rastrear de imediato a localização em caso de desastres, acidentes e outras situações de emergência. Pode-se utilizá-lo também quando se está perdido.

4. A primeira “vending machine” foi inventada no antigo Egito, em 215 a.C.

Diz a história que se usava uma máquina automática para vender água benta em um templo em Alexandria. Utilizando-se do princípio da alavanca, o peso de uma moeda de cinco dracmas inclinava o receptáculo dentro da máquina e uma torneira despejava água até o receptáculo retornar a sua posição original. Embora a máquina em si não tenha sobrevivido, o cientista Heron de Alexandria registrou sua existência no livro “Pneumática”. 

5. A primeira “vending machine” patenteada vendia selos.

Em 1857, um inglês chamado Simeon Denham adquiriu a patente de uma máquina de venda de selos que ele inventou. Diz-se que esta foi a primeira  “vending machine” a ser patenteada.

6. Máquinas de auxílio liberam bebidas gratuitamente em épocas de desastre.

O sistema Coca-Cola instalou essas máquinas de auxílio pela primeira vez no Japão em 2003. Controladas de forma remota por redes de comunicação, elas liberam bebidas de graça em ocasiões de emergência. Durante o grande terremoto que atingiu o Japão em 2011, por exemplo, foi liberada gratuitamente uma grande quantidade de refrigerantes. A maioria dessas máquinas de auxílio é equipada com baterias ou sistemas de geração de eletricidade independentes que lhes permite operar durante um apagão. Em dezembro de 2011, o sistema Coca-Cola já havia instalado seis mil dessas máquinas em todo o Japão, principalmente em ginásios escolares, hospitais e outros prédios públicos utilizados como centros de evacuação em situações de emergência. 

7. A venda anual por meio de máquinas no Japão é superior a 5 milhões de ienes.

Isso significa cerca de 40 milhões de dólares! A venda de refrigerantes chega a 1.913.357.300 ienes (cerca de 16 milhões de dólares). Parte do dinheiro das vendas em máquinas é utilizada como contribuição a atividades, os que lhes assegura um papel importante na infraestrutura social do Japão.  

8. O consumo de eletricidade das máquinas diminuiu 70% nos últimos vinte anos. 

Embora sejam bastante práticas, as máquinas de venda automática consumiam muita energia elétrica. Por isso, a Associação de Fabricantes de Máquinas de Venda do Japão decidiu desenvolver uma série de medidas para economizar energia. Entre 1991 e 2012, conseguiu reduzir em mais de 70% o consumo anual de eletricidade das “vending machines” de bebidas em lata e garrafa.

9. Inteligentes, as máquinas refrigeram produtos específicos de acordo com a demanda do consumidor. 

O chamado “resfriamento de zona” é um dos muitos métodos desenvolvidos para reduzir o consumo de energia das máquinas automáticas. Esse sistema resfria somente os produtos com maior probabilidade de serem vendidos em um momento próximo, em vez de resfriar todos os seus produtos, como faria um refrigerador. A própria máquina determina o número de produtos a serem resfriados por meio de um computador instalado nela, com base em dados sobre vendas em períodos específicos. Hoje em dia, a maioria das máquinas para venda de latas e garrafas está equipada com essa funcionalidade. 

10. Algumas máquinas de venda utilizam o calor gerado pelo resfriamento de produtos para aquecer outros produtos. 

Esta função, chamada “bomba de calor”, também foi desenvolvida para reduzir o consumo de eletricidade. O calor gerado no processo de resfriamento é reciclado para aquecer produtos que são vendidos quentes. 

11. Certas máquinas de venda automática consomem zero de energia elétrica em sua iluminação noturna. 

A mais recente máquina de venda de Coca-Cola – batizada Ecoru/Solar – é uma grande poupadora de energia. Um painel solar instalado em sua parte superior gera eletricidade durante o dia. A energia é armazenada e utilizada para a iluminação noturna, reduzindo a zero o consumo de energia elétrica. Além disso, o visor da máquina tem iluminação LED que, utilizada em combinação com um sensor, só acende quando uma venda está sendo realizada.


12. Muitas “vending machines” de Coca-Cola doam uma parte do que ganham a causas dignas.

Esse dinheiro apoia um grande número de iniciativas, incluindo: atividades regionais de conservação da natureza, grupos e organizações sem fins lucrativos, iniciativas para proteger e cultivar áreas florestais, pesquisas para tratamento de câncer infantil e melhoria da qualidade de vida dos pacientes e apoio ao bem-estar social. A lista de atividades apoiadas continua crescendo. 

13. As modernas “vending machines” consomem menos da metade da energia usada por um ventilador elétrico.

As máquinas de gerações anteriores resfriavam seus produtos durante o dia, quando a demanda de eletricidade estava no pico. Agora, a refrigeração intensiva acontece durante a noite – quando há excesso de energia elétrica – combinada a um desempenho superior do isolamento térmico, o que permite às máquinas prover produtos frios durante mais de doze horas com consumo zero de energia elétrica. Com o resfriamento dos produtos à noite, o consumo de eletricidade durante o dia se reduz a 5% do que as máquinas anteriores consumiam. Isto equivale a menos da metade do consumo de energia de um ventilador elétrico. 


14. Os funcionários que reabastecem as máquinas do sistema Coca-Cola também participam de iniciativas de prevenção de crimes para manter as comunidades seguras. 

Quando notam qualquer atividade suspeita ou veem alguém que pode precisar de ajuda, esses funcionários da Coca-Cola alertam a polícia local ou o corpo de bombeiros, ou prestam assistência pessoalmente.

15. Algumas máquinas ajudam em uma pesquisa ecológica sobre o trilho-de-Okinawa, uma ave do Japão.

No norte da península de Okinawa, várias máquinas do sistema Coca-Cola integram uma pesquisa ecológica sobre o trilho-de-Okinawa, uma ave ameaçada de extinção que é monumento natural japonês.


16. Os Estados Unidos têm o maior número de “vending machines”. O Japão tem a maior concentração delas. 

No fim de 2010, havia mais de 6,9 milhões de máquinas de venda automática nos Estados Unidos – um número maior do que o de qualquer outro país no mundo. Mas quando a população e a superfície de terra são levadas em conta, o Japão tem a maior concentração de máquinas de venda automática no mundo.