Famoso serviço de troca de mensagens instantâneas, o WhatsApp vem se tornando uma das mais importantes plataformas de networking do universo corporativo. Este foi o canal onde nasceu o Fórum RH que Inspira, que teve a sua terceira edição no fim de março, na sede da Coca-Cola Brasil.

Os participantes do fórum integram um grupo de WhatsApp homônimo criado pela consultora de recursos humanos Lilian Cidreira, da Nexialistas Consultores, em agosto. Ela conta que sentia falta de ter um ambiente para trocar experiências com profissionais da área. Decidiu, então, recorrer ao app, adicionando 15 colegas inicialmente.

“Um dia surgiu a ideia de organizar fóruns para discutirmos com profundidade os temas mais relevantes e, desde que os encontros se iniciaram, em novembro de 2016, o grupo começou a crescer. Hoje, são 83 participantes, sendo 90% do Rio de Janeiro e o restante de São Paulo”, conta Lilian, destacando que os profissionais de RH são de 50 empresas de diferentes segmentos.

Além da internet

Para os participantes do grupo, o canal possibilita uma rica troca de experiências, conhecimento e contatos. Os sites de busca estão ao acesso de todos, mas ter uma pergunta respondida por alguém confiável e com experiência é um diferencial que navegar na internet não consegue atender – pelo menos por enquanto

‘Se o grupo for sênior e estiver disposto a compartilhar conhecimento, o WhatsApp se torna muito poderoso, porque é rápido e flexível e está ao nosso alcance a maior parte do tempo’ — Lilian Cidreira, consultora de recursos humanos

São trocas de mensagens sobre, por exemplo, como fazer gestão de pessoas em tempos de crise, a promoção da diversidade, diferenças de gerações, responsabilidade social, economia colaborativa, além de agenda de eventos e oportunidades de emprego.

“Se o grupo for sênior e estiver disposto a compartilhar conhecimento, o WhatsApp se torna muito poderoso, porque é rápido e flexível e está ao nosso alcance a maior parte do tempo. Além disso, o grupo pode se tornar uma ferramenta de apoio aos participantes, tornando-se uma vitrine para quem busca oportunidades”, destaca Lilian.

O gerente de Recursos Humanos do Instituto Coca-Cola Brasil, Guilherme Oliveira, frisa que, embora os participantes sejam todos da mesma área, recursos humanos, há profissionais especializados em certos subsistemas:

“Assim, podemos, com rapidez, encontrar respostas de peso e valor. A experiência de um complementa a de outro. São inúmeras as oportunidades quando se está conectado a outros profissionais de sua área de atuação: benchmarkings de boas práticas, negócios, parcerias, compartilhamento de conteúdos, ou mesmo vagas de emprego”.

Sem autopromoção   

Como o grupo é formado por profissionais seniores, não houve a necessidade de criar de regrinhas de etiqueta.

“Há de se ter o bom senso de utilizar o meio de forma correta, tempestiva e com abordagem voltada para o que se propõe. Embora seja um ambiente para se fazer contatos profissionais, deve haver troca de conteúdos que agreguem valor a todos e que não seja utilizado apenas para benefício próprio”, aconselha Ricardo Teotonio, coordenador de MBAs do Núcleo de Negócios da Universidade Veiga de Almeida e participante do RH que Inspira.

E não basta entrar em um grupo no WhatsApp (ou em uma comunidade em redes sociais) se você não se encontra com as pessoas no mundo real, apontam os integrantes. Por isso, a criação dos fóruns RH que Inspira, que são sempre seguidos de um almoço.

“Naturalmente cada canal tem seu papel: o digital dá velocidade e escala de participantes; o presencial gera personalização e profundidade. O encontro presencial promove a interação olho no olho e aproxima as relações que irão continuar no digital com mais confiança, além de nos dar mais tempo para aprofundar em temas e práticas relevantes”, afirma Oliveira.

De nutrição a diversidade

Nos fóruns, a proposta, desde o início, foi mesclar pautas de RH com outros assuntos que podem contribuir para o crescimento pessoal dos participantes. Assim, na primeira edição, houve palestra de uma nutricionista com o tema “Alimentos que estimulam a produtividade” e, na sequência, Lilian fez uma apresentação sobre “Design Thinking como apoio estratégico ao RH”. Já o segundo fórum aconteceu na Sinaf Seguros, com o case da companhia sobre “Implantação de Gestão do Conhecimento” e uma palestra de um executivo da FGV sobre “Como o RH se torna parceiro do gerente financeiro”.

Na terceira e mais recente edição do fórum, os participantes assistiram às palestras de Vanessa Stocco, gerente de Talentos e Desenvolvimento da Coca-Cola Brasil, e de Guilherme Oliveira, gerente de Recursos Humanos do Instituto Coca-Cola Brasil, que falaram sobre diversidade dentro das companhias e sobre o Projeto Coletivo Jovem, respectivamente.

Texto produzido por Ecoverde Conteúdo Jornalístico