Todo mundo conhece e ama o Papai Noel — aquele velhinho grande e alegre, de traje vermelho, com barba branca — mas ele nem sempre teve essa aparência. Na verdade, muitas pessoas ficam surpresas ao saber que até 1931 Papai Noel era descrito como um homem alto e magro, ou até mesmo como um duende de aparência assustadora. Ele vestia uma batina de bispo e uma pele escandinava de animal de caça. Na realidade, quando o cartunista da Guerra Civil Thomas Nast desenhou Papai Noel para a revista Harper's Weekly, em 1862, Noel era uma pequena figura parecida com um duende que apoiava a União. Nast continuou a desenhar Papai Noel por 30 anos, e foi ele que substituiu o casaco de cor de pele, pelo vermelho, hoje tão famoso. Conheça algumas curiosidades sobre esta figura alegre de traje vermelho.

1. Papai Noel é destaque em anúncios da Coca-Cola desde a década de 1920

A The Coca-Cola Company começou sua publicidade de Natal na década 1920 com anúncios relacionados ao consumo em revistas como a “The Saturday Evening Post”. Nos primeiros anúncios, Noel ele tinha um olhar sisudo, no estilo Thomas Nast. Em 1930, o artista Fred Mizen pintou um Papai Noel de loja de departamento numa multidão bebendo uma garrafa de Coca-Cola. O anúncio foi destaque na maior dispensadora de refrigerante do mundo, que ficava localizada na loja de departamentos Famous Barr Co., em Saint Louis, no estado do Missouri.  A pintura de Mizen foi usada em anúncios impressos naquele Natal, sendo publicada na revista “The Saturday Evening Post” em dezembro de 1930.

2. A Coca-Cola ajudou a moldar a imagem de Noel

Em 1931, a empresa começou a colocar anúncios da Coca-Cola em revistas populares. Archie Lee, o executivo da agência de publicidade Darcy, que trabalhava com a The Coca-Cola Company, queria que a campanha mostrasse um Noel saudável, tanto realista como simbólico. Então a Coca-Cola incumbiu o ilustrador nascido em Michigan Haddon Sundblom de desenvolver imagens de publicidade  mostrando o “próprio Noel”, e não um homem vestido como Papai Noel. Para inspirar-se, Sundblom se voltou para o poema de 1822 de Clement Clark Moore, "Uma visita de São Nicolau" (comumente chamado de “Twas the night before Christmas”, ou, em tradução livre, “Era véspera de Natal”). A narração de Moores descreve um Noel caloroso, amigável, agradavelmente rechonchudo e humano. Apesar de muitas vezes ser dito que o Papai Noel usa um casaco vermelho porque essa é a cor da Coca-Cola, a verdade é que Noel já era representado com um casaco vermelho antes de Sundblom pintá-lo.

O Noel de Sundblom estreou em 1931 nos anúncios da Coca-Cola, na “The Saturday Evening Post” e apareceu regularmente nesta revista, assim como na “Ladies Home Journal”, “National Geographic”, ”The New Yorker”, entre outras.

De 1931 a 1964, a publicidade da Coca-Cola exibiu um Papai Noel entregando brinquedos (e brincando com eles!), dando uma pausa para ler uma carta e apreciar uma Coca-Cola, visitando as crianças que ficaram acordadas para saudá-lo e invadindo as geladeiras em inúmeras casas. As pinturas a óleo originais que Sundblom criou foram adaptadas para os anúncios da Coca-Cola em revistas e em displays de lojas, outdoors, cartazes, calendários e bonecos de pelúcia. Hoje, muitas dessas peças são colecionadas por fãs.

Sundblom criou sua versão final do Papai Noel em 1964, mas por várias décadas seguidas a publicidade da Coca-Cola destacou as imagens de Noel baseadas nas obras originais do artista. Estas pinturas são algumas das peças mais valiosas do departamento de arquivos da empresa e têm sido exibidas em todo o mundo, em locais famosos incluindo o Louvre, em Paris, o Museu Real de Ontário, em Toronto, o Museu da Ciência e Indústria, em Chicago, a loja de departamentos Isetan, em Tóquio, e a loja de departamentos NK, em Estocolmo. Muitas das pinturas originais podem ser vistas em exibição no museu World of Coca-Cola, em Atlanta.

3. O “novo Noel” foi inspirado num vendedor

No início, Sundblom pintou a imagem de Noel usando um modelo vivo, seu amigo Lou Prentiss, um vendedor aposentado. Quando Prentiss faleceu, Sundblom passou a ser o modelo de si mesmo, pintando enquanto olhava-se no espelho. Finalmente, Sundblom começou a confiar em fotografias para criar a imagem de São Nicolau.

As pessoas amavam as imagens do Noel da Coca-Cola e prestavam tanta atenção que, quando algo mudava, mandavam cartas para a The Coca-Cola Company. Num ano, o grande cinto do Noel apareceu cabeça para baixo, provavelmente porque Sundblom fez a pintura olhando-se em um espelho. Em outro ano, Papai Noel apareceu sem o anel de casamento, fazendo os fãs escreverem perguntando o que havia acontecido com a Senhora Noel.

Já as crianças que aparecem com o Papai Noel nas pinturas de Sundblom foram inspiradas em suas vizinhas, duas meninas, e uma delas foi substituída por um menino nas pinturas. O cão que Sundblom representou na pintura do Noel de 1964 era, na verdade, um poodle cinzento pertencente à floricultura do bairro, mas Sundblom queria que o cão aparecesse com destaque na cena, então pintou o animal com o pelo preto.

4. Papai Noel fez um novo amigo em 1942

Em 1942, a Coca-Cola lançou o Sprite Boy, ou “menino duende”, um personagem que apareceu ao lado do Papai Noel em anúncios da Coca-Cola ao longo das décadas de 1940 e 1950. O Sprite boy, que também foi criado por Sundblom, recebeu esse nome devido ao fato de que ele era um duende, ou um elfo. Mas foi só na década de 1960 que a Coca-Cola lançou a popular bebida Sprite.

5. Noel começa a ser animado em 2001

Em 2001, a pintura de Sundblom de 1963 foi a inspiração de um comercial de TV animado, estrelando o Papai Noel da Coca-Cola. O anúncio foi criado pelo animador premiado pelo Oscar Alexandre Petrov.