Agora que você já decidiu começar sua coleção, o mais inteligente a fazer é aprender a cuidar da sua memorabilia. Apesar de muitas indicações parecerem óbvias, a verdade é que muitos colecionadores experientes da Coca-Cola, estão cansados de esbarrar com novatos na prática que, por descuido, destroem o valor de verdadeiros objetos de colecionador. E são incontáveis os casos de pessoas que, orgulhosas, me mostram suas coleções de cartazes de propaganda da Coca-Cola, e meu coração se parte ao ver que as peças foram afixadas nos catálogos com cola ou algum tipo de fita adesiva.

Os dois métodos são terrivelmente nocivos para os materiais orginais. Qualquer tipo de adesivo ou cola, na verdade, penetra o papel com o tempo. Fita adesiva antiga é uma das coisas mais difíceis do mundo de remover.

Nunca plastifique

Outro erro muito comum – e extremamente prejudicial – é acreditar que plastificar é um método de preservação. Na verdade, a plastificação é um processo que usa calor para vedar o objeto de valor de coleção em um processo irreversível. Uma vez plastificado, é impossível desplastificar. Já vi quem gastasse centenas e até milhares de dólares em um objeto de colecionador e depois decidisse plastificar, para proteger. O que fizeram foi destruir completamente suas aquisições.

Mais um erro comum é comprar um belo calendário ou pôster e então colocá-lo estrategicamente no cômodo da casa com maior incidência de sol. É uma das tendências mais naturais de qualquer colecionador, querer exibir a própria coleção em um local iluminado, onde todos possam ver. Por um tempo, será muito bem visto, é verdade – e mais tarde ninguém vai poder enxergar nada. Depois de alguns meses, os raios ultra-violeta esmaecem as cores originais das peças. Se deixadas expostas ao sol por muito tempo, em algum momento, toda a ilustração desaparece.

Soube, certa vez, de um colecionador que tinha construído mostruários elaborados especialmente para os ítens impressos da coleção – mas, infelizmente, ele projetou a iluminação com luzes ultra-violeta sem filtro algum. Quando eu fui visitar, já era impossível ler as letras dos anúncios. As luzes tinham destruído todos os documentos.

Calendários, pôsterers e outros objetos colecionáveis que poderiam valer centenas, até milhares de dólares podem perder todo o valor por causa de maus cuidados.

Uma das coisas mais chocantes – e isso já aconteceu mais de uma vez – é descobrir quem tenha usado panos com material abrasivo para limpar pequenos pontos de sujeira nas antigas bandejas de servir. O resultado é que o colecionador, sem querer, acaba tirando a tinta de uma pintura colorida, arruinando para sempre a peça.

Por outro lado, alguém com conhecimentos de conservação pode salvar peças de valor e até mesmo deixá-las em um estado muito próximo das condições originais. Muitos anos atrás, nós compramos um display lindo de 1906 ou 1907, com mais ou menos 1,5 metros de altura. A imagem era uma mulher que dirigia uma carruagem sem cavalos. Quando me ofereceram, estava em péssimo estado, provavelmente tinha sido guardado num sótão ou porão. Estava muito empoeirado e cheio de rachaduras.

Por conta da antiguidade e da raridade da peça, enviamos a um especialista em conservação de papel. Ele colocou um suporte para a estrutura, reafixou as partes e trouxe as cores de volta à vida. Quando o trabalho estava pronto, as cores estavam vibrantes. Conseguimos inclusive ler as palavras que não tínhamos visto de início. Mas uma restauração feita por um especialista desse cacife pode ser cara e é mais indicada para ítens raros e com potencial de alto valor.

É muito melhor adquirir bons hábitos de conservação desde o momento da compra dos ítens de colecionador. E, claro, é essencial aprender os métodos adequados de preservação antes de investir muito dinheiro no colecionismo.

Conservação básica

Aqui estão listados alguns hábitos e precauções básicas que todo colecionador deveria ter.

  • Mantenha os materiais longe da luz, do calor, variações de temperatura, poeira e umidade. Manter uma coleção no porão de uma casa pode não ser uma boa ideia, a não ser que a temperatura seja relativamente constante.

  • Lembre-se de que o papel pode se expandir ou contrair com as variações de temperatura. Se, ao longo do tempo, ele sofrer esse processo muitas vezes, você terá problemas. Papel deve ser mantido em um ambiente seco e estável. E também deve ser protegido de pragas.

  • Não use nenhum tipo de adesivo em nenhum tipo de papel. Também evite o uso de clipes e grampos, pois com o tempo ficarão enferrujados e deixarão manchas nos documentos. O mesmo vale para elásticos, que podem derreter e grudar no papel.

Colecionadores experientes reservam um bom tempo para estudar conservação. Assim como colecionadores de moedas ou selos cuidam do armazenamento e formas de expor suas coleções, os colecionadores da Coca-Cola devem usar as formas adequadas de preservação. Um primeiro passo importante é o uso de papéis, pastas e caixas livres de ácido para o armazenamento de peças de valor.

Quase todo o papel produzido nos dias de hoje é altamente ácido. Com o tempo, a acidez de uma pasta de documentos padrão reagirá quimicamente com a acidez de qualquer documento que esteja guardado ali. A variação constante de temperatura acelera a reação química da acidez. Com pastas e caixas livres de ácido, cria-se um ambiente neutro, em que o documento estará seguro. Você estará criando uma barreira que previne a transferência de uma imagem do documento para a própria pasta e vice-versa. Quanto mais barreiras forem criadas, mais protegida estará sua coleção.

É recomendável, para iniciantes, que procurem associações de história e de preservação locais para instruções, já que tudo deve ser adaptado ao clima da região.

Leituras sobre conservação

Não faltam informações sobre preservação em livros e na internet, e listamos alguns deles, escritos em inglês, abaixo. A lista, entretanto, não é nem completa nem uma recomendação de fornecedores. Nossa sugestão é que você faça uma pesquisa de mercado para comparar preços e avaliar toda a gama de produtos disponíveis.

Livros:

  • “Protecting your treasures: A guide to the care and preservation of antiques and collectibles” (trade paper) by Miriam L. Plans. Antique Trader Books. 1997. [“Proteja seus tesouros: Um guia para o cuidado e a preservação de antiguidades e coleções”, de Miriam L. Plans]

  • “Caring for your collectibles. Heritage Preservation”. For information: 1-888-388- 6789. [“Cuidando da sua coleção. Preservação de herança”]

  • “An ounce of preservation: A guide to the care of papers and photographs” by Craig A. Tuttle. Rainbow Books Inc. 1995. [“Um punhado de preservação: Um guia de cuidado para papeis e fotografias”, de Craig A. Tuttle]

Para o colecionador brasileiro, a editora FGV possui uma série de livros chamada “Coleção Arquivologia”. Além disso, o Arquivo Nacional disponibiliza na internet um documento intitulado “Subsídios para um dicionário brasileiro de terminologia arquivística”, com definições e termos em diferentes idiomas, auxiliando a leitura de obras estrangeiras. Há também o livro de Philipp Blom, Ter e manter: uma história íntima de colecionadores e coleções, publicado em 2003 pela editora Record.

Phil Mooney é diretor do Departamento de Arquivos.