O refrigerante é hoje conhecido pelos brasileiros pelo slogan “o sabor de viver o Maranhão”. É docinho, com um toque de cravo e canela e, claro, tem um tom rosado inconfundível. O Guaraná Jesus está tão integrado ao dia a dia dos maranhenses que já faz parte da vida e da história das famílias da região. Comer uma fatia de bolo ou uma tapioca com Guaraná Jesus no lanche da tarde é como abocanhar um pouco da cultura do estado.

Apesar de ter sido um produto exclusivo de alguns estados do Nordeste até o início deste ano, a fama do refrigerante fez com que a bebida virasse queridinha também em outras regiões do país. O Guaraná Jesus era produzido e engarrafado somente pela Solar BR Coca-Cola (fabricante do Sistema Coca-Cola Brasil) em São Luís, no Maranhão, e distribuído em três estados do país: o próprio Maranhão, Piauí e Tocantins. Porém, em maio, para a felicidade dos admiradores da bebida, outro fabricante do Sistema, a Coca-Cola FEMSA, confirmou a distribuição do refrigerante em São Paulo, Minas Gerais e Paraná.

“Sempre ouvindo nossos consumidores, o guaraná também chegou a Brasília, que tem concentração importante de maranhenses. Assim eles podem novamente sentir o ‘gostinho de casa’”, conta a gerente de Kuat e Guaranás da Coca-Cola Brasil, Katielle Haffner. A Brasal, desde junho, vende o produto no Distrito Federal.

Os consumidores desses estados podem encontrar o Guaraná Jesus nos supermercados, nas mesmas prateleiras em que estão outras bebidas premium ou importadas, em latas de 350ml — no Nordeste o guaraná ainda está disponível em garrafas PET, de vidro e em lata, em tamanhos que variam de 200 ml a 2,5 litros, além da versão Zero, sem açúcares, em latas de 350ml e garrafas PET de 2 litros.

Gerente de Marketing da Coca-Cola FEMSA Brasil, George Leite conta que a companhia decidiu levar o refrigerante a outros estados em decorrência dos muitos pedidos de consumidores nas redes sociais. Em um passeio pelo YouTube é possível encontrar vídeos de fãs do Guaraná Jesus e “sommeliers de refrigerante” que postam curiosidades sobre a bebida e as primeiras impressões sobre seu sabor.

“Já é um sucesso também fora do Nordeste. A exclusividade de sabor entregue pelo Guaraná Jesus está conquistando uma parcela importante dos consumidores: os que buscam novidades na categoria de refrigerantes. Esse consumidor tem se identificado com a proposta do novo produto em Minas Gerais, São Paulo e Paraná, e o resultado disso é espelhado na repercussão positiva nas redes sociais e alta demanda inicial de vendas do produto”,  conta Leite, que lembra bem da primeira vez que experimentou o hit regional: “Foi em uma viagem ao Maranhão. Vi de cara que tratava-se de um produto com sabor e coloração diferente de todos os outros refrigerantes da Região Sudeste. Mas o maior diferencial é mesmo o sabor. Inconfundível”.

Guaraná Jesus
Mas quem inventou o Guaraná Jesus?

A história do Guaraná Jesus tem semelhanças com a da própria Coca-Cola. Assim como o refrigerante criado em Atlanta, nos Estados Unidos, em 1886, a bebida cor-de-rosa também foi inventada por um farmacêutico: Jesus Norberto Gomes. Sim, daí vem o nome que ficou tão famoso! A delícia gasosa foi criada em 1927, num pequeno laboratório de São Luís. Gomes nasceu na cidade de Vitória do Mearim, no Maranhão, em 1891. Aos 14 anos de idade foi morar em São Luís para buscar trabalho.

Seu primeiro emprego foi na farmácia Marques, onde aprendeu em pouco tempo as receitas. Aos 20 anos, tornou-se empreendedor e comprou a farmácia Galvão, onde foi criada uma seção de águas gasosas e refrigerantes, o que era comum na época. Nesse estabelecimento surgiu o primeiro Guaraná Jesus, com leve sabor amargo. A primeira versão do produto não agradou tanto, mas, focado, Gomes continuou as experiências e logo chegou à fórmula atual do Guaraná Jesus. Segundo George Leite, da Coca-Cola FEMSA Brasil, o sabor foi um sucesso imediato com os netos de Gomes.

E o que a Coca-Cola Brasil tem a ver com uma das bebidas mais queridas do Nordeste? Em 1980, a família de Gomes vendeu a marca à antiga Companhia Maranhense de Refrigerantes, na época franqueada da Coca-Cola Brasil no estado. Em 2001, o guaraná foi adquirido pela Coca-Cola Brasil e passou a fazer parte do nosso portfólio de produtos — sem nunca perder seu sabor característico ou a identificação com a cultura local. Uma das preocupações é justamente preservar a história da marca. Por isso, os elementos gráficos do rótulo representam a própria cor do produto e o logotipo “Jesus” remete à assinatura do seu criador.

“Manter os aspectos tradicionais da bebida foi um compromisso assumido pela Coca-Cola Brasil diante da família do criador da marca, Jesus Norberto Gomes, ao adquirir a marca em 2001. Todas suas características originais foram mantidas, e o produto que você bebe hoje é o mesmo que era bebido há 89 anos”, garante Rodrigo Assunção, diretor de Marketing e Planejamento Estratégico da Solar.

Orgulho maranhense

A embalagem, aliás, foi criada com a ajuda dos maranhenses. Em 2008, foram apresentadas três opções, e os consumidores escolheram a nova identidade visual por meio de voto popular. O modelo vencedor foi inspirado nos azulejos coloniais portugueses de São Luís e ganhou medalha de ouro de Melhor Estratégia de Marketing no Prêmio Internacional de Excelência em Design (IDEA).

“É um produto que passa de geração para geração, possui uma grande história e uma ligação muito forte com os maranhenses”, comenta Assunção. “As pessoas sentem-se honradas e se orgulham do produto, o que vale para o público teen, jovens, adultos e idosos. Isso é muito gratificante para nós, que acompanhamos a evolução da marca ao longo dos anos. Trabalhamos com carinho para que a tradição se perpetue”. E, se depender dos entusiastas da bebida cor-de-rosa, o gostinho de guaraná com cravo e canela ainda será símbolo do Maranhão por muitas gerações.