A The Coca-Cola Company é uma fabricante de robôs? Se essa associação não lhe parece comum, logo parecerá. Conheça os bastidores onde uma equipe de especialistas em design e tecnologia que está construindo um robô que distribui bebidas – e surpresas – aos consumidores.

O começo 


Em 2014, a Coca-Cola fez uma parceria com a Fellow Robots, uma startup com sede no Vale do Silício, para desenvolver o Cobot 1.0, um robô da Coca-Cola voltado para o consumidor, inspirado na ideia de que “uma Coca-Cola encontra você, em vez de você encontrar uma Coca-Cola”. 

Avance para o início de 2016. Tom North, gerente de comercialização de equipamentos, liderou o desenvolvimento do Cobot 2.0 da Coca-Cola, em conjunto com a equipe de Aquisição de Tecnologia Externa (ETA, na sigla em inglês) da Coca-Cola. North aparece acima explicando a capacidade de armazenamento de produtos do Cobot 2.0.

Nancy Quan, vice-presidente e chefe de Pesquisa & Desenvolvimento e Qualidade, diz que a equipe da ETA teve um papel fundamental para dar vida ao Cobot. “Consideramos um excelente exemplo de como estamos trabalhando junto a parceiros externos por meio de nossa função Global ETA”, disse ela. “Neste caso, a ETA conectou startups de tecnologia com nossos especialistas no assunto da P&D e integrou parceiros com nossa unidade de negócios para permitir a rápida adoção de novas tecnologias pelo mercado”.

Várias outras equipes participaram do desenvolvimento do Cobot, mas todos os parceiros tinham uma mesma ideia em mente: criar uma máquina de venda automática móvel que envolvesse os consumidores de maneira divertida e única. Equipes da Coca-Cola na China e no Japão ficaram animadas para ajudar a dar vida ao Cobot 2.0.

Cobot 1.0

A aparência do Cobot 1.0 era um retorno às máquinas de venda automática antigas. Embora a equipe de Design gostasse do aspecto vintage, o invenção podia guardar apenas quatro minilatas, o que limitava sua utilidade. Então a equipe de Design da Coca-Cola decidiu modernizar o robô, repensando radicalmente sua aparência e a funcionalidade.

“A robótica de serviço é uma indústria em rápido crescimento e, por meio de nossa parceria com a Coca-Cola, a Fellow Robots é capaz de demonstrar a expansão, o uso e as aplicações da robótica de serviço em indústrias de varejo”, disse o CEO da Fellow Robots, Marco Mascorro.


Trabalhando com Design Global

Quando a equipe de P&D decidiu levar adiante o Cobot 2.0, procurou James Cha, gerente de Design, para criar a nova aparência do robô. “Embora em seu estágio inicial o programa Cobot nos faça lembrar de onde o projeto Freestyle da Coca-Cola já esteve, o Cobot pode muito bem ser nossa próxima grande coisa, proporcionando momentos agradáveis a nossos consumidores da próxima geração conectados” comentou Cha. 

Capacidade

Para resolver o principal desafio do Cobot 1.0 – o fato de que ele só podia guardar algumas latinhas – o Cobot 2.0 foi projetado para ter uma capacidade de armazenamento de aproximadamente 20 latas de 350 ml ou 20 garrafas PET de 300 ml. O robô da nova geração, de aspecto elegante, também tem uma série de habilidades interpessoais. Ele pode reagir e distribuir bebidas ou prêmios de acordo com a reação facial do consumidor – isto é, sorria e ganhe uma Coca, ou faça uma pose e ele tirará uma foto sua.


Os cérebros do Cobot

Para o Cobot 2.0 entrar em ação, dois operadores usam controladores semelhantes ao mecanismo de carros com controle remoto. Uma pessoa guia o movimento de Cobot e a outra guia suas interações com os consumidores. Os cérebros humanos podem fazer com que ele tire uma foto, libere uma bebida, sorria ou mostre outras expressões faciais.


Ao trabalho, robô!

Quando encontrei os integrantes da equipe, eles estavam trabalhando duro para reunir Tom e Jerry, dois Cobots levados à China para uma estreia no início de maio de 2016. Por motivos de logística, é melhor construir e usar duas máquinas ao mesmo tempo. Assim, quando esses Cobots estão no mercado, a equipe de operadores pode assegurar que um deles esteja em ação enquanto o outro é reabastecido.

‘Cirurgia cardíaca’

A fim de preparar Tom e Jerry para sua estreia na China, a equipe de P&D de Equipamento Global trabalhou dia e noite, durante três semanas seguidas, sobrevivendo com biscoitos e Coca-Cola. Quando eu a visitei, Clayton Burnett, um engenheiro comercial, explicou, brincando, que estava fazendo uma “cirurgia cardíaca” em Jerry para assegurar que a fonte de energia do robô funcionasse perfeitamente. “Estamos na zona vermelha, chegando ao meio do campo. Esta é a parte mais difícil, atravessar tudo até a linha do gol”, disse North. A equipe levou de seis a oito semanas para montar essas duas primeiras unidades do Cobot 2.0, e prevê que pode reduzir à metade esse tempo em futuros projetos.


Lançamento-piloto do Cobot 2.0

A P&D de Equipamento Global trabalhou numa corrida contra o tempo porque Tom e Jerry eram esperados na China para uma viagem-piloto de ativação de Xangai a Pequim, com paradas em clientes importantes, como Wanda Cinemas e Metro Supermarkets. Depois da China, os dois viajarão de volta à sede da Coca-Cola, em Atlanta, para aprimoramentos e reorganização. Enquanto isso, dois Cobots 2.5 estão sendo desenvolvidos para uma apresentação do produto na Universal Studios in Japan (USJ), por ocasião do 15º aniversário do parque. Fotografados aqui, os operadores Hannah Rittweger, estagiária de P&D da Georgia Tech, e Clarke Monroe, gerente de eletrônica, conseguem que Tom se mova e venda produtos depois de um longo dia fazendo pequenos ajustes para aprimorar sua funcionalidade.


O futuro do Cobot

O Cobot 2.0 representa um enorme salto de tecnologia e design em relação ao protótipo inicial do robô. Futuros aprimoramentos incluirão maior capacidade de venda, redução para um operador de controle remoto e melhor detecção de gestos e emoções, bem como grandes avanços sociais e em fotografia. 

Para aproveitar plenamente o potencial do Cobot, a P&D trabalhará com a equipe de Inovação de Serviços de TI da Coca-Cola. “Trabalhar com a P&D para aprimorar o Cobot 2.5 é uma maneira estimulante de conseguir inovações”, afirmou Bill Maynard, diretor de Arquitetura/Inovação de Empreendimentos. “O que a tecnologia pode desenvolver no Cobot para melhorar a experiência de apresentação ao consumidor? Acho que temos algumas ideias animadoras e, quem sabe, um dia você poderá abraçar um Cobot e receber em troca uma Coca-Cola!”.


Evento de apresentação na China

Em 14 de maio, os Cobots 2.0 Tom e Jerry fizeram sua estreia em público num cinema em Xangai. A multidão adorou experimentar o produto e interagir com o Cobot. “Depois de um lançamento bem-sucedido na Ásia, estou animado para levar o Cobot ao resto do mundo com uma funcionalidade sempre em evolução, como objetivo de ajudar os consumidores a ‘Sentir o sabor’ da inovação em Coca-Cola”, garantiu North.

A equipe de engenharia do Cobot 2.0: a partir da esquerda,Clayton Burnett, Clarke Monroe, Alan Hawkins e Hannah Rittweger. Na foto,faltou Frank Fu.