São Paulo (SP) – “O Natal vem vindo, vem vindo o Natal…”. Quando essa música começa a tocar, a gente já tem vontade de sair correndo para a janela e assim ver os caminhões vermelhos iluminados passarem na rua. Pelo menos sempre foi assim comigo, já que cresci na década de 1990 e, ano após ano, assisti, de olhos arregalados, à chegada da Caravana de Natal da Coca-Cola à minha cidade, o Rio de Janeiro. A mobilização na casa era sempre enorme. Bastava meu pai ouvir o jingle ao longe para nos chamar. “Corre! É o Natal chegando!”. E todos nós íamos para a janela da sala ver os caminhões, abraçados, como se fosse a passagem de um cometa. Dito isso, é possível imaginar a minha felicidade quando descobri que poderia participar da caravana por uma noite. Sim, dentro do caminhão! Isso queria dizer que aquela doce lembrança da infância estava prestes a ganhar cores ainda mais vivas.

O passeio que fiz foi especial: na estreia da Caravana de Natal 2016 da Coca-Cola FEMSA Brasil, uma das fabricantes do Sistema Coca-Cola Brasil, na cidade de São Paulo. Partimos do bairro do Morumbi, no fim da tarde do último dia 26, em direção ao Ibirapuera, onde dezenas de famílias nos aguardavam para a inauguração da árvore de Natal do parque.

A caravana de Natal da Coca-Cola FEMSA Brasil viaja com cinco caminhões: o primeiro é de som, o segundo leva equipamento de manutenção, o terceiro dá uma carona para Papai Noel e seu trenó, o quarto leva um cenário com o urso da Coca-Cola e um globo de neve gigante, e o quinto também é um carro de som. Todos juntos, iluminados e envoltos por aquela música que marca o Natal, causam impacto em quem tem a sorte de cruzar com eles.

Foi como ver um comercial pular da TV para o mundo real. Quem tem mais de 25 anos certamente lembra-se da famosa propaganda que estreou em 1995 nos Estados Unidos – e no fim da década no Brasil – que mostra os caminhões iluminados atravessando uma cidade, enquanto famílias correm para assistir ao espetáculo. O mais legal, para quem está no banco da frente, é justamente observar as pessoas interrompendo suas rotinas para curtirem o momento. Vi uma família inteira largar o jantar no meio e correr para a calçada ainda com as bocas cheias. Vi cabeleireiros, manicures e clientes de um salão de beleza pararem o que estavam fazendo – de bobs no cabelo e pente na mão – para filmarem a caravana. Todos fizeram uma pequena pausa no dia para se encantar um pouco e experimentar um sentimento novo.

Adeildo Carvalho, motorista do segundo caminhão da caravana, meu companheiro de viagem, teve a mesma sensação. “Eu sinto que levo esperança e felicidade para as pessoas, nem que seja por um minuto”, comentou comigo. Depois de meia hora de trajeto, Adeildo já tinha deixado de lado a pose de caminhoneiro e encarnado o espírito de Papai Noel. "Feliz Natal! Feliz Natal!", dizia Adeildo, acenando para os passantes na rua. Entre um tchauzinho e outro, ele, que mora em Curitiba e tem 39 anos, contou que era sua primeira participação na ação. Viajou a São Paulo só para esse trabalho e está ansioso pelo dia em que passará por sua cidade. “Será quase um mês de viagem, conhecendo muitas cidades do Brasil. Fico só imaginando como vai ficar a emoção quando eu chegar em Curitiba, onde minha família vai me ver”, comentou o motorista.

Depois da estreia em São Paulo, os cinco caminhões novinhos em folha e a equipe responsável pela operação seguiram a jornada por diversas cidades do Brasil. Nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Mato Grosso do Sul e parte do Rio de Janeiro, a engarrafadora Coca-Cola FEMSA Brasil comanda os eventos. Nas demais regiões do país, outros fabricantes também organizam espetáculos semelhantes. Dá para conferir os trajetos e datas das caravanas no site oficial: natal.cocacola.com.br.

O
peração Papai Noel: cada detalhe é checado

Na saída da caravana do ponto de encontro – geralmente, um supermercado ou outro cliente da Coca-Cola Brasil –, um buzinaço anuncia o início da rota. Antes disso, todos os veículos foram minuciosamente inspecionados por técnicos e pelo motorista de cada caminhão. Cada detalhe é checado. A lona está cobrindo as luzes de LED? O trenó do Papai Noel está perfeito? E a mecânica dos carros? Tanque cheio? Equipamento de segurança em dia? Então vamos em frente!

Para tudo funcionar perfeitamente, é necessária uma equipe de cerca de 20 pessoas, contando motoristas, produtores e profissionais de manutenção. Todos se comunicam por walkie-talkies, essenciais para garantir que nenhum caminhão se perderá no caminho. Descobri que a operação é muito mais complicada do que se imagina. Há o risco, por exemplo, de outros carros entrarem no meio da caravana e separarem os veículos uns dos outros. Isso acabaria com o barato da caravana. Ainda pode ser que o som pare de funcionar, as luzes se apaguem ou haja uma barreira inesperada no trajeto. Por isso, há um caminhão carregado apenas com materiais de manutenção.

Também de Curitiba, Antonio Pereira da Silva, o seu Toninho, é o guia da caravana da Coca-Cola FEMSA Brasil este ano. Ele dirige o primeiro caminhão – uma responsabilidade grande, uma vez que abre caminho para os demais, sempre atento ao trânsito, à altura de viadutos e árvores, sempre controlando a velocidade. Esse é o terceiro ano do motorista de 60 anos na caravana. “Não me canso. É sempre emocionante, e acho que você consegue ver por quê”, disse seu Toninho, ao desembarcar em frente à Árvore de Natal do Ibirapuera, em São Paulo, enquanto uma multidão gritava e acenava à sua volta. “A energia do público é boa demais. Não se esgota. E deixa a gente de peito cheio”. Paramos de "conversar por aí" porque seu Toninho precisava se recompor da emoção e guiar a caravana de volta para a garagem onde os veículos iam pernoitar, no estacionamento da Coca-Cola FEMSA Brasil, no bairro Jurubatuba, na capital paulista.

Árvore de Natal do Ibirapuera

Árvore de Natal do Ibirapuera, em São Paulo, tem apoio da Coca-Cola FEMSA

Rinaldo Lima

T
odo ano um Natal diferente

Há pelo menos 15 anos a Coca-Cola FEMSA promove a Caravana de Natal em diversas cidades do Brasil. Há oito anos no comando dessa operação, Luciano Sá, gerente de Publicidade, Promoções e Eventos da FEMSA, pensa como o motorista seu Toninho. Para ele, todo ano há uma novidade para ser celebrada. Em 2016, por exemplo, a caravana da FEMSA passará por 26 cidades – contando todas as carreatas organizadas pelos dez grupos engarrafadores do Sistema, 193 cidades serão visitadas pelo tão esperado Papai Noel no caminhão vermelho e iluminado da Coca-Cola, 33 a mais que no ano passado. Só a operação da FEMSA envolve 120 profissionais e 7 mil quilômetros percorridos.

“Só hoje, dia da inauguração da caravana e da Árvore de Natal do Parque Ibirapuera, estimamos que cerca de 4 mil pessoas tenham sido impactadas diretamente”, comentou Sá, logo depois que as luzes da árvore se acenderam. “E como o tema da campanha de Natal da Coca-Cola este ano é gratidão, o clima está ainda mais especial. Estamos todos contagiados pela vontade de agradecer quem está sempre do nosso lado, seja a família, os amigos ou os colegas. É muito bom levar essa mensagem às pessoas”, completou o gerente.

Já a tradicional Árvore de Natal do Parque Ibirapuera, em São Paulo, tem, pelo segundo ano, o apoio da Coca-Cola FEMSA Brasil em parceria com a Prefeitura de São Paulo. A estreia da Caravana de Natal deste ano, no dia 26, culminou com a inauguração da árvore, que, este ano, tem uma novidade: a população participou ativamente da decoração. O público pôde doar os enfeites de Natal até o dia 20 de novembro. Os enfeites arrecadados foram utilizados na decoração da Árvore do Ibirapuera e, no dia 17 de dezembro, serão doados a quatro comunidades indicadas pela plataforma Coletivo, da Coca-Cola Brasil – Paraisópolis, Vila Andrade, José Bonifácio e Heliópolis.

O
 que ‘Star Wars’ tem a ver com a história dos caminhões?

Os caminhões de Natal da The Coca-Cola Company foram criados para um comercial feito pela agência americana de publicidade W.B. Doner, nos Estados Unidos, em 1995. Os veículos, iluminados com mais de 30 mil lâmpadas ao todo, ganharam uma estética mágica graças aos efeitos especiais da Industrial Light and Magic, a mesma empresa que criou os efeitos para os filmes da franquia “Star Wars”. As clássicas ilustrações do Papai Noel da Coca-Cola, desenhadas pelo artista Haddon Sundblom para anúncios impressos nos anos 1930, já decoravam – e enfeitam até hoje – as laterais ou traseiras dos caminhões.

A Caravana de Natal voltou às TVs em 1996 para apresentar as novas embalagens de Natal da Coca-Cola, que traziam os desenhos de Sundblom, distribuídas nos Estados Unidos, Reino Unido, Austrália, Hong Kong, África do Sul, Cingapura e Filipinas. Depois do enorme sucesso, o comercial foi ao ar em mais de cem países em 1998, para milhões de espectadores. Ele continua sendo um dos comerciais da Coca-Cola mais utilizados ao redor do mundo. Também no fim da década de 1990, a ideia transformou-se em realidade, e carreatas de caminhões iluminados apareceram em 65 cidades dos EUA e em parte da Europa.

O clássico comercial da Coca-Cola, que mostra caminhões de entrega mágicos chegando a uma cidade, termina com o “bom velhinho” fazendo um brinde às festas de fim de ano. Na versão original, a canção dizia “Holidays are coming, holidays are coming”. No Brasil, o jingle foi adaptado para: “O Natal vem vindo, vem vindo o Natal”.