O WWF-Brasil e a Coca-Cola Brasil realizam, entre junho e novembro, encontros entre 60 jovens de comunidades ribeirinhas do Amazonas, da região de Carauari.  O objetivo é multiplicar e ampliar o conhecimento sobre biodiversidade e incentivar a busca por soluções criativas para temas relevantes para a realidade local como a geração de renda, educação, inclusão e fortalecimento social e acesso a mercados para as cadeias da sociobiodiversidade.

Desse grupo, dezoito jovens foram selecionados de forma participativa para vivenciar experiências in loco e aprofundar o conhecimento em visitas a iniciativas bem sucedidas em outros estados, durante os meses de junho e julho. O conhecimento adquirido durante os intercâmbios, quando transferido a realidade local, deverá inspirar o envolvimento dos demais jovens e estimular o sentimento de pertencimento à floresta.

A primeira viagem aconteceu em junho, na região vinícola de Bento Gonçalves (RS). Na ocasião, os jovens observaram de perto as experiências de cooperativismo e associativismo que são considerados casos de sucesso no país, e movimentam grandes negócios de algumas indústrias alimentícias.

Na emblemática Reserva Extrativista (Resex) Chico Mendes, no Acre, eles conhecerão as experiências de manejo florestal comunitário, beneficiamento de castanha  e ecoturismo de base comunitária.  No município de Feijó, também no Acre, o foco será Educação Ambiental e o grupo terá contato com Unidades Produtivas familiares em sistema de Agrofloresta, colônias de pescadores de Pirarucu, produtores de artesanato feito com seringa.

O projeto faz parte da parceria global entre a WWF e Coca-Cola, na qual as empresas se comprometem a liderar um movimento mundial para conservação dos recursos naturais, até 2020.  No Brasil, essa parceria busca a sustentabilidade das cadeias de valor dos insumos, uso sustentável dos recursos hídricos e proteção e valorização de florestas.

“Com o Intercambiando, queremos proporcionar para os jovens uma experiência única, que demonstre claramente o valor da floresta em pé. Esses jovens são fundamentais para a conservação e desenvolvimento socioambiental de comunidades no interior da Amazônia e sabemos que disseminar as possibilidades de empreender na floresta poderá ampliar ainda mais as suas perspectivas futuras”, afirma do Diretor de Valor Compartilhado da Coca-Cola Brasil, Pedro Massa.

Os jovens selecionados para o projeto foram divididos em três grupos: o primeiro irá tratar do tema acesso ao mercado e geração de renda em que vão conhecer novas realidades de gestão para adaptar à cadeia do açaí.  No grupo Educação Ambiental as diversas experiências deverão subsidiar a formatação de um conjunto de materiais pedagógicos com identidade regional para formação continuada. O terceiro grupo terá como foco o tema Inovação para a Conservação da Biodiversidade e vão conhecer os novos arranjos de negócios e técnicas sustentáveis de extrativismo.

“Esse grupo de jovens já demonstrou que tem potencial para assumir o protagonismo nas organizações locais. Esperamos que esse projeto contribua para que alguns deles sejam as lideranças locais que poderão garantir a integridade de quase 1 milhão de hectares de florestas das duas reservas ambientais onde moram, a Resex Médio Juruá e RDS Uacari”, afirma Marcelo Oliveira, especialista de conservação do WWF-Brasil.

No final do processo, os jovens voltam para Carauari com novas relações e valores, que serão compartilhados com o grupo maior. Um dos produtos do projeto, elaborado pelos próprios alunos será um material técnico-pedagógico com identidade local, conforme o histórico de aprendizagens e sua relação com as cadeias produtivas da floresta e com o meio ambiente. Cada jovem será um multiplicador dessa experiência em sua comunidade, podendo levar mais conhecimento a um maior número de pessoas.
 

Coca-Cola Brasil e WWF-Brasil têm atuações direcionadas para a Amazônia 

Ações de proteção do bioma Amazônico têm sido formuladas e executadas por ambas as instituições. Desde 2013, a Coca-Cola desenvolve o Coletivo Floresta no Amazonas, que inclui extratores de açaí na cadeia de valor da Coca-Cola como fornecedores para o suco Del Valle Reserva Açaí + Banana. O Coletivo Floresta promove a geração de renda, empoderamento comunitário e a conservação da biodiversidade da Floresta Amazônica. A iniciativa, que impacta cerca de quatro mil pessoas, foi desenvolvido num processo inovador de cocriação com a comunidade, respeitando a cultura e tradições locais.

Já a WWF-Brasil, há mais de 15 anos implementa ações de conservação em várias regiões da Amazônia, promovendo a consolidação de unidades de conservação e proteção da biodiversidade aliada ao desenvolvimento socioambiental das populações Amazônicas.


SOBRE A COCA-COLA BRASIL

O Sistema Coca-Cola Brasil é o maior produtor de bebidas não alcoólicas do país e atua em sete segmentos – águas, chás, refrigerantes, néctares, energéticos, bebidas esportivas e lácteos – com uma linha de mais de 125 produtos, entre sabores regulares e versões de baixa caloria. Composto por 10 grupos parceiros de fabricantes, o Sistema emprega diretamente 66 mil funcionários, gerando cerca de 600 mil empregos indiretos. Em 2015, o total investido na operação no Brasil será de R$ 2,7

bilhões, reforçando a continuidade do compromisso da Coca-Cola Brasil com o país: entre 2012 e 2016, terão sido investidos R$ 14,1 bilhões, valor 50% superior ao dos cinco anos anteriores. O Sistema Coca-Cola Brasil está empenhado em incentivar iniciativas que apoiem um estilo de vida ativo e saudável e que melhorem o desenvolvimento econômico e social das comunidades em que opera. Para isso, conta com uma plataforma de valor compartilhado, o Coletivo Coca-Cola, que já impactou a vida de mais de 100 mil pessoas por meio de toda a cadeia de valor da empresa.