O que acontece quando se mistura Coca com Mentos?

Esse fenômeno não acontece apenas com a Coca-Cola. Água gaseificada, espumante e demais refrigerantes trarão efeitos semelhantes. A intensidade vai depender da característica do produto e da respectiva quantidade de gás. Falando um pouquinho de ciência: o gás carbônico (CO2) em uma bebida carbonatada está em equilíbrio com o líquido e pode ser afetado de muitas maneiras, como por exemplo uma simples agitação. Como o CO2 está distribuído no corpo do líquido, qualquer substância que traga um distúrbio para este equilíbrio, expulsará o gás rapidamente. Como a bala é mais pesada que o refrigerante, logo alcança o fundo e movimenta uma desarrumação do CO2 de baixo para cima, congestionando as camadas de cima e favorecendo o desequilíbrio rapidamente, causando a saída imediata deste gás e jogando o líquido para fora do recipiente. O fenômeno observado é resultante da desestabilização do gás que acontece sob um efeito dominó. Ele vai ser mais intenso em produtos diet porque são menos encorpados e por isso facilitam o escape do gás. O tamanho do gargalo também influencia, quanto mais estreito, assim como uma mangueira de molhar jardim, mais forte pode ser o jato. Você deve estar pensando: “e seu comer a bala e beber um refrigerante?”. A maior parte do gás é perdido durante o contato com a boca e a ingestão. Uma pessoa com hábitos normais, que saboreia a bala e bebe uma bebida gaseificada, jamais passará por condição similar.

O site E-Farsas também desmentiu o boato. Leia aqui.