Apesar de considerado um direito e um componente fundamental na qualidade de vida de todos, o acesso à água potável é hoje um desafio de grandes dimensões no Brasil. Segundo o Instituto Trata Brasil, o país conta com 35 milhões de pessoas sem acesso à água tratada, sendo que, destas, 20 milhões estão em comunidades e áreas rurais. A situação já é crítica, e a demanda global e a lacuna de acesso a esse recurso vital ainda devem aumentar nos próximos anos. De acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), em 2025, duas em três pessoas sofrerão algum problema relacionado à água.

Além de gerar doenças e mortes de adultos e crianças até hoje, a falta de acesso e tratamento de água gera altos custos tanto para os mais pobres como para governos, não apenas com internações e remédios, mas com distribuição de cloro, compra e transporte de água engarrafada, sem citar os dias escolares e de trabalho perdidos devido a doenças. Cerca de 400 mil pessoas são internadas por ano por diarreia, com um custo que ultrapassa os R$140 milhões para o Sistema Único de Saúde (SUS), de acordo com estudos do Instituto Trata Brasil.

Mesmo sendo a nona economia no mundo e com uma série de pesquisas demonstrando que investimentos em água e saneamento geram impactos econômicos e sociais positivos, o Brasil ocupa atualmente a 112º posição no Ranking Global de Saneamento, do Trata Brasil. De acordo com o Plano Nacional de Saneamento Básico (PLANSAB), seriam necessários R$503 bilhões para universalizar o acesso à água e saneamento no país até 2033.

O Programa Água+ Acesso

Além de ser um recurso essencial para a vida, para economias e ecossistemas, a água é também o principal insumo de todos os produtos do Sistema Coca-Cola Brasil, além de um dos principais elos da empresa com as pessoas, com a natureza e com as comunidades em que atua.

Ao longo dos últimos anos, a Coca-Cola Brasil vem reforçando investimentos para aumentar sua eficiência. Trabalho consistente e de longo prazo, que obteve sucesso ao reduzir em 30% o volume de água necessário para produção de um litro de bebida em suas fábricas, desde 2001. Fora desses muros, foram implementados programas socioambientais de geração e retenção de água em bacias hidrográficas por meio do reflorestamento e da conservação que já atingem mais de 103 mil hectares.

Para ampliar e reforçar ainda mais esses elos positivos e o compromisso com a água e com a sociedade, a Coca-Cola Brasil e o Instituto Coca-Cola Brasil passaram a mobilizar seus talentos, investimentos e capilaridade também à serviço da missão de ampliar o acesso à água no Brasil, indo além das fronteiras das suas fábricas e da própria companhia.

Dado o tamanho e a complexidade do desafio, e tendo em vista que metade dos projetos de água e saneamento na América Latina fracassam em até cinco anos após sua implantação por não contarem com modelos para sua viabilidade e continuidade,  era evidente que agir de forma isolada teria um impacto limitado e insuficiente.

Por querer contribuir para um impacto relevante e duradouro, e por constatar que não havia nenhuma rede com foco no acesso à água no país, a Coca-Cola Brasil optou por somar esforços com algumas das principais organizações que atuam com o tema. Essa aliança, até então inédita, soma e combina conhecimentos, redes e capilaridade para ampliar o impacto e potencializar o ecossistema de acesso à água no país ao engajar um número crescente de parceiros, implantar e disseminar soluções, boas práticas e modelos autossustentáveis com amplo potencial para comunidades de todo o Brasil.

Água + Acesso tem como objetivo ampliar o acesso à água segura e de forma sustentável a comunidades rurais ao unir esses parceiros de peso, tecnologias inovadoras e modelos comunitários que viabilizam sua continuidade. Sua estratégia está embasada em quatro pilares e, desde seu lançamento, já mobilizou R$ 25 milhões para investimento até 2020.

Lançado no dia 22 de março de 2017, Dia Mundial da Água, o Programa e Aliança Água+ implantou e está operando pilotos com sete soluções inovadoras em 15 comunidades de três estados (Ceará, Amazonas e Pará), atendendo a mais de 4 mil pessoas.

Em 2018, o programa será ampliado para oito estados e mais de cem comunidades. A expectativa é que mais de 50 mil pessoas sejam beneficiadas diretamente ainda este ano. O investimento saltará de cerca de R$ 1,5 milhão para R$ 7 milhões, e o número de parceiros, de nove para 14 organizações.

Água+ Acesso: Pilares estratégicos

Integrar: Fortalecimento de uma aliança crescente e intersetorial com o objetivo de alavancar impacto através de redes, expertises e investimentos complementares para ampliação de alcance e impacto quantitativo e qualitativo.

Inovar: Identificação, implementação e avaliação de novas tecnologias e modelos para acesso e tratamento de água. O objetivo é encontrar e implantar pilotos com soluções escaláveis e autossustentáveis através de editais e de mobilização contínua de inovadores visando impulsionar as soluções mais efetivas pela própria aliança formada.  

Impulsionar: Ampliar o impacto e capilaridade das organizações sociais parceiras através da implantação, ampliação e revitalização de sistemas e estações de tratamento e abastecimento comunitários de água, assim como replicando e escalando as melhores soluções, modelos e boas práticas desenvolvidas pelas organizações aliadas promovendo ativamente o intercâmbio de aprendizados entre elas.

Influenciar: Sistematizar e disseminar boas práticas, soluções e modelos para além da aliança através de publicações, conteúdos, eventos e metodologias, contribuindo com a agenda e com a formação de melhores políticas públicas e programas relacionados ao acesso à água e ao saneamento em áreas rurais.

Integrantes: aliança Água+

A aliança de parceiros é formada por algumas das principais organizações de acesso à água no Brasil, fundações, empresas e entidades que de forma integrada somam seus talentos, recursos e capilaridade para ampliar impacto.

Coca-Cola Brasil e Instituto Coca-Cola Brasil: Além de investidor financeiro, é o articulador e gestor da aliança, avaliando o impacto gerado e mobilizando novos parceiros e investidores para ampliação do programa.

Banco do Nordeste: Parceiro estratégico, co-investidor e articulador de oportunidades e atores-chave em iniciativas de acesso à água no Nordeste brasileiro.

Fundação Avina: Fundação que atua desde 2004 em projetos de acesso à água em toda a América Latina. É parceira no apoio às organizações de acesso à água e na avaliação de impacto.

WTT World-Transforming Technologies: Organização especializada em identificar, avaliar e apoiar o P&D e go-to-market de inovações tecnológicas de impacto socioambiental.

Instituto Trata Brasil: Organização que congrega especialistas e é referência em pesquisas e programas relacionados aos temas de água e saneamento no país.

Sistema Integrado de Saneamento Rural — Ceará (SISAR-CE): Organização social que atua no tratamento de água e saneamento em mais de mil comunidades rurais no Ceará.

Central — Bahia: Organização social que atua no tratamento de água e saneamento em mais de 150 comunidades rurais da Bahia.

Projeto Saúde e Alegria: Organização com sede no Pará que atua há mais de 30 anos em mais de 150 comunidades ribeirinhas na Amazônia.

Fundação Amazonas Sustentável: Organização com sede em Manaus que atua em mais de 500 comunidades em unidades de conservação no estado do Amazonas.

Associação de Produtores Rurais de Carauari (ASPROC – AM): Organização social que integra e representa os produtores rurais de Carauari e Território do Médio Juruá, congregando mais de 50 comunidades ribeirinhas da região.

Cáritas Diocesana de Pesqueira — PE: A Cáritas Diocesana de Pesqueira integra a rede de Cáritas Brasileira e nasceu no início de 2000 com foco em projetos voltados para a convivência com o semiárido na região do agreste e sertão pernambucano, sobretudo com ações de segurança hídrica e alimentar, extensão rural, economia popular e solidária dentre outras..

Centro Popular de Cultura e Desenvolvimento (CPCD): Organização social reconhecida nacional e internacionalmente por seu trabalho de organização comunitária, educação popular e projetos integrados para o desenvolvimento territorial de comunidades. São parceiros do Água+ em ações no Vale do Jequitinhonha, no estado de Minas Gerais.

Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – Seção Espírito Santo: Atua no programa com foco na identificação, integração e fortalecimento de organizações comunitárias do estado para seu fortalecimento e ampliação dos modelos comunitários de saneamento rural.