Participar de palestras sobre mercado e finanças, fazer cursos variados, aprender outro idioma, estudar no exterior e até mesmo, quem sabe um dia, virar presidente de uma grande empresa. Por que não? É com sonho de voar alto que os integrantes da primeira turma de Jovens Aprendizes da Coca-Cola Brasil completam um ano de trabalho e uma trajetória de grandes aprendizados.

E quanta coisa mudou nesse período!

A rotina e a forma de administrar o tempo foram alterados, os projetos para o futuro se ampliaram. A oportunidade de trabalhar numa empresa de grande porte trouxe junto novas responsabilidades e expectativas.

Bruno Monteiro, Milene Gomes e Thaina Borges fazem parte desse grupo de 14 jovens que chegam ao fim do programa em dezembro. Tempo suficiente para que pudessem refletir sobre suas carreiras, aprender um mundo novo de ideias e ideais de vida. Conheça um pouco a história desses jovens:

Thaina, o orgulho da família

Aos 22 anos, Thaina se tornou o orgulho dos amigos e da família após ingressar no programa. Moradora de uma área de risco na Vila Cruzeiro, comunidade na Penha, Zona Norte do Rio, ela diz que, infelizmente, conta nos dedos os amigos que cursam uma faculdade. No quarto período de Ciências Contábeis na Unicarioca, e da área de Finanças – Tesouraria, Thaina afirma que, graças à oportunidade de emprego, até tomou gosto pelo hábito da leitura, algo inimaginável até pouco tempo. “Eu detestava e já li cinco livros só este ano. Aprendi a enxergar as pessoas com outros olhos, aprendi a dialogar, a me expressar melhor”, enumera ela, que está aprendendo inglês, um dos benefícios oferecidos pela empresa, assim como o plano de saúde, o reembolso odontológico, de farmácia, entre outros.

‘Quem sabe, uma menina sonhadora, que começou como Jovem Aprendiz, acaba como presidente? É um sonho, mas nada é impossível’ – Thaina Borges, Jovem Aprendiz 

Milene, de malas prontas para a Irlanda

Da área de Marketing da empresa, Milene, de 21 anos, executa tarefas como auditoria, análise de notas fiscais e outros processos administrativos. O convívio com uma equipe engajada no trabalho e o incentivo contínuo do gestor, diz ela, despertaram um desejo ainda maior: em janeiro, Milene parte para Dublin, na Irlanda, onde fará um intercâmbio de um mês. O inglês ela vem treinando com um professor particular, dentro do pacote de benefícios oferecido pelo programa.  “Essa tem sido a melhor oportunidade da minha vida, tenho certeza de que vou sair com muitas portas abertas”.

Bruno, já está na pós-graduação

A troca de experiências com o gestor também abriu muitas possibilidades para Bruno, de 24 anos, morador de São Gonçalo. No setor de Tecnologia da Informação, ele concluiu a faculdade e atualmente cursa uma pós-graduação em Segurança de Redes. Incentivo do gestor, enfatiza Bruno. “Eu não queria, mas ele me influenciou muito. Minha relação com meu gestor é muito direta, ele sempre está aberto a ouvir os meus retornos para que eu possa ser um bom associado na empresa. Essa experiência fez com que eu me encontrasse profissionalmente e estou sempre me adaptando para estar no padrão da Coca”, avalia Bruno.

Formação ampla

Com a carga horária de seis horas, em horários flexíveis, os 14 jovens entre 16 e 23 anos se revezam entre quatro dias na empresa, em funções práticas, e um dia de atividades na sede da Rede Cidadã, ONG que promove a geração de empregos para jovens de baixa renda fazendo parceria com empresas, como a Coca-Cola Brasil. “Aprendemos muito sobre desenvolvimento humano, sobre capacitação, como tomar à frente na vida profissional”, aponta Bruno.

Além disso, os jovens têm o Passaporte do Conhecimento, que é um programa voltado para estimular o aprendizado contínuo. Mensalmente, é definido um tema com cursos ou palestras como aulas de Excel, finanças, planejamento pessoal, sustentabilidade, entre outros. Para estimular a participação de todos, um carimbo no "passaporte" registra a conclusão de cada atividade. “A gente entrou muito cru e está adquirindo muito conhecimento com os cursos, que são bastante práticos. A Coca-Cola Brasil me moldou, porque a empresa nos dá uma visão com objetivos claros”, elogia Milene, estudante de Publicidade e moradora de Anchieta.

Coletivo Jovem

Tanto Bruno quanto Milene e Thaina chegaram à empresa por meio de feiras de empregos da Rede Cidadã. A seleção da próxima turma já está em andamento, dessa vez somente com integrantes do Coletivo Jovem, do Instituto Coca-Cola Brasil. Para o trio, a chance de usufruir do projeto Jovem Aprendiz em uma empresa como a Coca-Cola Brasil é algo que vale a pena. “Sei que eles são rígidos na escolha dos jovens, e selecionaram os melhores para eles”. Thaina que o diga. Após um almoço com o presidente da Coca-Cola Brasil, a jovem está cheia de planos e sonhos: “Eu me lembro de ter perguntado a ele se na empresa já houve alguma presidente mulher, e ele ter dito que não. Quem sabe, uma menina sonhadora, que começou como Jovem Aprendiz, acaba como presidente? É um sonho, mas nada é impossível”.

Saiba onde encontrar um Coletivo Jovem perto de você

Texto produzido por Ecoverde Conteúdo Jornalístico