O assunto mais urgente em todo o mundo é o combate ao avanço do novo coronavírus. E isso só será possível se todos fizermos a nossa parte. Aqui na Coca-Cola Brasil, já estamos adotando medidas de prevenção. Desde a última sexta-feira (13/03), os funcionários da companhia que podem trabalhar remotamente estão em home office. Os fabricantes do Sistema têm adotado medidas para garantir a segurança de seus colaboradores e, assim, manter a produção das bebidas. Garantimos, portanto, o abastecimento e o nosso compromisso com a população.

Montamos um guia com perguntas e respostas sobre como evitar a transmissão do novo coronavírus e da doença que ele causa, a Covid-19, para nossos colaboradores que compartilhamos abaixo. O conteúdo foi produzido com base nos materiais oficiais do Ministério da Saúde e OMS. No inforgráfico abaixo, confira as recomendações gerais, e a seguir saiba de forma mais detalhada como se proteger e evitar a transmissão.

Como podemos evitar a propagação do coronavírus?

Tive um contato direto e contínuo com uma pessoa que teve contato direto e contínuo com um caso confirmado. Como devo agir?

De acordo com os especialistas consultados e orientações do Ministério da Saúde, o risco de contágio é baixo. De qualquer forma, é importante acompanhar as suas condições de saúde e a presença de sintomas, como tosse seca, dores no corpo e febre. A recomendação oficial é que pessoas sem sintomas não devem buscar o sistema de saúde e nem serem testadas. Ainda assim, você pode consultar seu médico caso esteja em um grupo de baixa imunidade ou tenha alguma situação particular para ele lhe orientar no seu caso específico.

O que significa exatamente uma “quarentena preventiva”?

A quarentena preventiva está sendo recomendada pelos órgãos competentes para diminuir a circulação de pessoas em transportes públicos e nas ruas e, consequentemente, evitar a propagação do vírus. Deve ser adotada por todos, mesmo que você não seja um caso suspeito.

Significa que você deve:

1) Evitar frequentar lugares públicos com grande aglomeração de pessoas;

2) Evitar contato com pessoas idosas (mais de 60 anos) ou com doenças pré-existentes como diabetes, problemas cardíacos ou respiratórios, doenças renais, transplantados, pessoas em tratamento de câncer ou que fazem uso de medicamentos imunossupressores, (pois são pessoas com sistema imunológico debilitado e, no caso de contraírem o vírus, podem evoluir para um quadro mais crítico);

3) Se precisar sair de casa, manter uma distância mínima de 1 metro de qualquer pessoa;

4) Se precisar usar transporte público ou frequentar supermercados e outros locais públicos, buscar os horários de menor pico e manter a distância de 1 metro para outras pessoas;

5) Não cumprimentar com aperto de mão, beijos e abraços e não compartilhar talheres, copos, toalhas e demais objetos pessoais;

6) Cumprir com as regras de cuidado e higiene que estão sendo amplamente divulgadas pelos canais oficiais: ao espirrar e tossir, colocar o antebraço ou um lenço na frente do nariz e da boca; deixar os ambientes da casa arejados, para facilitar a circulação do ar; reforçar sua higiene pessoal como a lavagem das mãos segundo as normas recomendadas;

7) Restringir viagens pessoais;

8) Fazer reuniões remotas;

9) Fazer home office (trabalhar de casa).

E a quarentena preventiva também é recomendada para as pessoas com sintomas e com diagnóstico confirmado ou esperando resultado para a doença Covid-19? Ou existe uma recomendação diferente?

Nesses casos você deve se manter em isolamento familiar. O isolamento familiar é uma conduta prevista pelo Ministério da Saúde, indicada pelo médico, a depender da condição clínica do paciente. Consiste basicamente em manter a restrição de contatos com pessoas e ambientes externos, para evitar a circulação do vírus.

Em que casos é recomendável procurar um médico? Devo fazer o teste para saber se tenho o vírus incubado?

Importante apontar que, para quem não apresenta sintomas, o Ministério da Saúde reforça que não há necessidade de fazer o teste — como existe uma quantidade limitada de kits para teste, a prioridade será sempre para casos sintomáticos ou pessoas dos grupos de risco. Ainda assim, você pode consultar seu médico caso esteja em um grupo de baixa imunidade ou tenha alguma situação particular para ele lhe orientar no seu caso específico. Se apresentar sintomas (febre, tosse seca, dores do corpo, cansaço) busque seu médico de confiança para obter as recomendações específicas.

Eu acredito que faço parte de um grupo de pessoas que têm maior risco de contaminação. Como devo agir?

Se você se enquadra no grupo de maior risco de saúde — possui mais de 60 anos e/ou possui doenças pré-existentes como diabetes; problemas cardíacos ou respiratórios; doenças renais; transplantados; em tratamento de câncer; ou faz uso de medicamentos imunossupressores — você deve procurar o RH para mais orientações. O mesmo se aplica a gestantes.

Estou com muitas dúvidas sobre o novo coronavírus. Quem eu devo procurar?

Você pode acompanhar os dados, perguntas e respostas oficiais do governo pelo site do Ministério da Saúde. Basta clicar aqui.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato com o nosso centro de relacionamento pelo chat ou pelo WhatsApp (21) 4002-2121.

Texto produzido por #ColaboraMarcas