Era o primeiro dia de aula de Daiana Santos no Coletivo Jovem, programa que capacita jovens a darem seus primeiros passos no mercado de trabalho. A educadora entrou em sala, se apresentou, conversou com os alunos e pediu para que ligassem os computadores com o objetivo de fazerem alguns exercícios. Mas a estudante travou. Não sabia nem ligar a máquina, quanto mais utilizar os programas. Teve que levantar a mão e contar para a turma.

Saiba mais: Coletivo capacita jovens de comunidades urbanas de baixa renda

“Mas a educadora não riu nem meus colegas ao redor. A maioria também não sabia mexer. E isso não foi um problema. Ela me ensinou com toda paciência e me encaminhou para fazer um curso gratuito de informática”, recorda Daiana.

Hoje com 22 anos, a jovem tinha 16 quando procurou o Coletivo Parada Angélica, em Duque de Caxias, no estado do Rio de Janeiro, com a intenção de ter meios para procurar uma oportunidade de emprego e ajudar a família.

A partir dessa experiência no programa do Instituto Coca-Cola Brasil, muita coisa mudou. “Quando eu entrei lá, só tinha em mente que eu queria ser alguém, mas não sabia por onde começar. Foi onde aprendi o básico: montar um currículo, como me portar numa entrevista de emprego, perder a timidez… E tudo isso com dinâmicas de grupo”, lembra.

“O Coletivo me trouxe conhecimento e me trouxe perspectivas. Dos meus familiares, só dois têm faculdade. Então quando você chega no Coletivo e eles te ensinam como se portar numa entrevista, como fazer um currículo... Aquilo te dá oportunidades concretas”.

E Daiana soube agarrar cada oportunidade que pintou. Graças ao Coletivo, ela conseguiu, ainda aos 16 anos, uma vaga de Jovem Aprendiz no McDonald’s — uma das mais de 250 empresas que empregam os estudantes formados pelo programa em todo o Brasil. Hoje, ela ocupa o cargo de gerente de plantão de uma unidade da rede de lanchonetes em Caxias.

Além disso, passou a cursar Direito, e, desde o mês passado, estagia no setor jurídico da Coca-Cola Brasil. “É como se fosse um sonho. Até o meu primeiro dia de estágio, não estava nem acreditando”, conta a estudante.

Daiana ainda pôde participar do programa de voluntariado do Sistema Coca-Cola Brasil, o Kolabora, e, por isso, ganhou sessões de mentoria sobre carreira do próprio vice-presidente do departamento Jurídico da Coca-Cola Brasil, Flavio Mattos.

“Eu tinha um problema grande para gerenciar meu tempo. Fazia muita coisa, mas sentia que não completava nenhuma tarefa totalmente. E, agora, eu aprendi a dividir meu tempo entre as tarefas e me concentrar em uma de cada vez. Tive até uma promoção no trabalho no McDonald’s depois disso”, comemora.

Mattos também vem ajudando Daiana a traçar um plano para seus objetivos de longo prazo. E não são poucos: ela sonha em, no futuro, ser delegada da Polícia Federal. Ninguém duvida de que é capaz.

Texto produzido por #Colabora Marcas