Coca-Cola Brasil e Natura: ações no interior do Amazonas
Acesso à água potável é um desafio de grandes dimensões no Brasil 

Flávio Emanuel


O Fórum de Desenvolvimento Territorial do Médio Juruá (AM) acaba de receber um aporte de US$ 2,3 milhões da USAID, agência de desenvolvimento internacional do governo norte-americano. O investimento será destinado a ações de educação, saneamento, infraestrutura, acesso à água potável e estudos sobre as cadeias produtivas da região, como açaí, andiroba e murumuru, lideradas por Coca-Cola Brasil e Natura. O projeto de desenvolvimento da região apresentado à USAID foi coordenado pela organização da sociedade civil SITAWI Finanças do Bem, que mobiliza capital para impacto socioambiental positivo.

Além da participação das empresas, o Fórum conta também com agentes locais e tem o objetivo de integrar as organizações e instituições que atuam no Médio Juruá para promover o desenvolvimento socioeconômico das comunidades ribeirinhas. As necessidades da região foram evidenciadas a partir da medição do Índice de Progresso Social-Comunidades (IPS), utilizado como instrumento de diagnóstico e avaliação socioambiental na região desde 2015.

‘Nesta importante parceira juntos com as comunidades locais compartilhamos nossas experiências, boas-práticas e recursos para atingir resultados de impacto.’ – Anna Toness

O índice baseia-se na metodologia desenvolvida pelo professor e economista americano Michael Porter e mede progresso social sem considerar fatores econômicos. A pesquisa é pioneira no mundo ao utilizar dados primários para avaliação de desenvolvimento socioambiental em nível local, a partir de uma iniciativa conjunta de Natura e Coca-Cola. Com o diagnóstico – elaborado com apoio técnico da Ipsos -, empresas, órgãos governamentais, ONGs e movimentos sociais podem alinhar os esforços de investimento na região.

Na segunda medição do IPS, destaca-se o progresso obtido entre 2015 e 2017 em relação ao acesso à água e ao saneamento básico, que avançou nove pontos percentuais entre a população urbana e 21 pontos percentuais entre os ribeirinhos, fruto do trabalho e da mobilização social das organizações do Fórum do Médio Juruá.

A geração de renda das famílias extrativistas também avançou no período, com crescimento de 9% entre a população urbana e 5% entre os ribeirinhos. Outro aspecto com evolução positiva é o acesso ao conhecimento básico, que aumentou seis pontos percentuais nos dois casos. Diante do contexto socioeconômico mais desafiador no Brasil nos últimos dois anos, o IPS-Comunidades registrou pequena queda de dois pontos percentuais entre os ribeirinhos e de quatro pontos na população urbana.

Projeto participativo

De acordo com Anna Toness, Diretora do Programa para Conservação da Biodiversidade da USAID, a parceria com a Coca-Cola, Natura e SITAWI é um exemplo do trabalho colaborativo existente entre empresas privadas, setor público e organizações não-governamentais em prol do desenvolvimento socioeconômico sustentável das comunidades na Amazônia. “Nesta importante parceira juntos com as comunidades locais compartilhamos nossas experiências, boas-práticas e recursos para atingir resultados de impacto que outrora sozinhos não seria possível alcançar”, avalia Anna Toness.

A SITAWI será a executora do projeto financiado pela USAID e responsável por coordenar as atividades, em parceria com organizações do território. “Todo o desenvolvimento do projeto se realizou a partir das demandas das populações. O projeto tem o potencial de ser transformador na região para empoderar as comunidades e servir como exemplo de como cadeias de valor sustentáveis podem conservar a biodiversidade e conduzir o desenvolvimento social na região. Isso deve ser um marco para outras regiões da Amazônia”, afirma Rob Packer, gerente de Finanças Sociais da SITAWI.

Educação e acesso à água

Nos últimos quatro anos, a Coca-Cola Brasil fortaleceu o cooperativismo no interior do Amazonas com a rastreabilidade da cadeia de açaí, melhorias na logística, segurança do trabalho e incentivo de boas práticas de manejo sustentável. Agora a região do Médio Juruá (AM) será beneficiada pelo programa Água+ Acesso, que pretende viabilizar soluções inovadoras para o acesso e tratamento de água para consumo, uma prioridade para a região. “Acesso à água é hoje um desafio de grandes dimensões no Brasil e investir nesse acesso gera enormes benefícios sociais e econômicos. É nosso papel promover a busca por soluções aos grandes desafios sociais e ambientais do país. Ao investir, apoiar e integrar atores-chave, parceiros, co-investidores e organizações de acesso à água em um plano de desenvolvimento sustentável, contando com o belo trabalho de articulação e mobilização implementado pela Associação dos Produtores Rurais de Carauari (ASPROC), chegaremos a soluções sustentáveis”, afirma Luiz André Soares, gerente de Sustentabilidade da Coca-Cola Brasil.

No caso da Natura, os investimentos devem se concentrar em realização de estudos locais, investimentos em fundos, fortalecimento da educação técnica e disponibilidade de recursos humanos para o desenvolvimento do projeto. Luciana Villa Nova, gerente de Sustentabilidade da Natura, comenta que para melhorar a qualidade de vida na região, a parceria precisa ir além da medição das condições de desenvolvimento local. “A cooperativa dos agricultores extrativistas do Médio Juruá é nossa parceira há 17 anos. Contribuímos com a geração de renda de cerca de 400 famílias no local, atuando em parcerias que visam o desenvolvimento territorial, fortalecendo assim os agentes locais com novas ferramentas que orientem políticas e investimentos sólidos e direcionados à melhoria da qualidade de vida das populações amazônicas. Por isso, os investimentos anunciados são tão importantes”, conclui.