Não, isso não é verdade. A The Coca-Cola Company não está negociando com nenhum governo de nenhum país a exploração do Sistema Aquífero Guarani. Diante das falsas notícias sobre a privatização do Sistema, a ABAS – Associação Brasileira de Águas Subterrâneas, divulgou uma carta aberta esclarendo o caso. Os sites Boatos.org e BBC Brasil também desmentiram a falsa informação. 

A The Coca-Cola Company considera a água um recurso precioso para a vida e um direito universal, para o desenvolvimento saudável de ecossistemas, comunidades, agricultura e comércio.

O Aquífero Guarani é a terceira maior reserva mundial de água doce. Estende-se sob o solo de quatro países sul-americanos: Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. Em 2010, esses quatro países assinaram um acordo, baseado nos preceitos da Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), sobre os princípios da proteção dos recursos naturais e a responsabilidade soberana dos estados pelo uso racional destes.

O acordo estabelece que estes países têm a obrigação de promover a conservação e proteção ambiental, a fim de garantir o uso múltiplo, racional, sustentável e igualitário de seus recursos hídricos, e não causar danos significativos a outros territórios ou ao meio ambiente.

Além disso, na Argentina, a província de Corrientes reafirmou a jurisdição total sobre as águas subterrâneas que compõem o Aquífero Guarani, o que ratifica sua característica de recurso pertencente ao domínio público, bem como, de interesse da província, sua proteção ambiental e uso racional.

Desde 2010, a The Coca-Cola Company vem acompanhando a ONU na sua resolução de reconhecer, oficialmente, o direito universal à água e ao saneamento, afirmando que esse acesso é “essencial para todos os direitos humanos”.

A empresa está seriamente empenhada em retornar às comunidades e à natureza o equivalente a toda a água que a companhia utiliza para a fabricação de bebidas. A empresa faz isso ao garantir o uso eficiente do recurso em seus processos produtivos, ao melhorar o acesso à água e ao saneamento nas comunidades, ao fornecer água para uso produtivo, ao contribuir para a proteção dos aquíferos, ao educar e conscientizar sobre o cuidado com a água.

Em 2015, cinco anos antes da data estabelecida para o cumprimento da meta, a The Coca-Cola Company atingiu o objetivo de devolver 100% da água que usa em seus produtos e em seu processo produtivo em todo o mundo, através de projetos de acesso à água potável nas comunidades mais vulneráveis, recuperação de águas pluviais e projetos de conservação e prevenção de incêndios. Embora já tenha atingido a meta de 100% de reabastecimento, a companhia continua comprometida com esse objetivo. O Sistema Coca-Cola Brasil, desde 2016, devolve à natureza o dobro da água que consome em seus processos produtivos.

Em parceria com as organizações de especialistas no assunto mais reconhecidas do mundo, incluindo WWF, The Nature Conservancy, Water for People, Millennium Water Alliance, ProNatura, Fundação Avina, UN-Habitat, Wildlife Foundation e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, até o final de 2016, a The Coca-Cola Company já reabastecia 221 bilhões de litros de água por ano, globalmente, através de projetos com comunidades e bacias hidrográficas.