Em outubro de 2017, a empresa La Moraleja, fornecedora da Coca-Cola Argentina na província de Salta, e a fundação ProYungas concordaram em desenvolver um plano de gestão ambiental para toda a propriedade da companhia. O projeto não inclui apenas ações para restauração da área florestal do terreno mas também uma série de outras iniciativas voltadas para a sustentabilidade ambiental das atividades da La Moraleja e esforços de conservação a nível regional na província de Salta.

A marca Sprite não desmatou ilegalmente na Argentina

O plano de gestão ambiental, atualmente em desenvolvimento na Argentina, terá as seguintes linhas de trabalho:

1) Plano de restauração para áreas florestais degradadas

Compreende a recuperação ambiental de áreas que sofreram intervenções. O trabalho será inicialmente realizado de forma ativa e experimental, em uma parte da região (aproximadamente 400 hectares), por meio de um plano de reflorestamento com espécies nativas.

Posteriormente, será avaliada a opção de complementar a iniciativa de forma predominantemente passiva, em outros setores (aproximadamente 800 hectares). Isto envolverá a implementação de ações para facilitar e melhorar a recuperação natural (identificação de viveiros e creches, limitar qualquer tipo de atividade que não faça parte da restauração, fortalecimento e monitoramento da sucessão natural, etc), o que permitirá que seja identificada a necessidade ou não de aplicar outros meios complementares de restauração.

2) Linha de base ambiental e monitoramento da biodiversidade

A linha de base reúne informações que permitem caracterizar o contexto ambiental atual da área, as diferentes unidades ambientais presentes e a biodiversidade associada.

Monitoramento é o estudo e a análise de diferentes variáveis ambientais que permitem avaliar a resposta de populações naturais selecionadas (aves, mamíferos de médio e grande porte) às ações de restauração.

Por outro lado, fornecerá informações sobre como as atividades produtivas nas redondezas estão integradas a ambientes silvestres, o que permitirá definir diretrizes de manejo que permitam a integração coerente em escala de paisagem de sistemas produtivos com o ambiente natural, preservando a biodiversidade e os serviços ecossistêmicos.

3) Implementação de áreas de conservação privadas

Destina-se a firmar um compromisso de conservação envolvendo os espaços florestais nativos remanescentes dentro da região. Cerca de 6.791 hectares devem ser adicionados à iniciativa como área privada protegida.

4) Contribuição para a conservação regional

Propõe-se a unir esforços público-privados que contribuam para políticas de conservação no nível regional, apoiando os esforços da província de Salta para adicionar áreas naturais à Reserva Nacional Pizarro (APN), em acordo com os critérios e metodologias definidas pela Administração Nacional de Parques.

Progresso do plano de reflorestamento e restauração em Finca La Moraleja até agora

No período de outubro a dezembro de 2017, foram executadas as seguintes linhas de trabalho:

1. Caracterização ambiental e monitoramento da biodiversidade. Foi realizada a primeira investida, na qual um levantamento de biodiversidade (componentes de flora e fauna) foi feito e câmeras foram instaladas para monitorar os mamíferos. Resultados preliminares das câmeras permitiram identificar 18 espécies de mamíferos. O monitoramento continuará durante o ano de 2018, incorporando outras variáveis (parcelas florestais, aves, etc) para avaliar a eficácia das medidas implementadas.

2. O plano de restauração para as áreas de florestas degradadas foi elaborado. Atualmente, está sendo desenvolvido um estudo de restauração que considera duas situações diferentes de fontes renováveis, regeneração natural e restauração ativa com plantio em massa (cerca de mil plantas por hectare).

A continuação dos estudos permitirá definir se é viável realizar a restauração passivamente (sem reflorestamento, mas gerando condições favoráveis à sucessão natural) em outros setores. Em muitas experiências no mundo, o estímulo à renovação natural é mais eficaz do que o plantio de mudas criadas em viveiro.

3. A empresa La Moraleja decidiu incorporar suas áreas florestais remanescentes, 6.791 hectares, incluindo as áreas a serem restauradas, em um sistema privado de proteção ambiental. Durante 2018, as atividades de monitoramento continuarão gerando outros componentes (parcelas florestais, registro de aves, etc) que contribuirão com informações necessárias para o Plano de Gestão Ambiental.

Este projeto também incluirá recomendações de manejo (para áreas degradadas e de baixa produção) e um programa de monitoramento de longo prazo que permite monitorar as tarefas de restauração e avaliar a interação dos sistemas produtivos da empresa La Moraleja com o ambiente silvestre.

Leia o texto original no Coca-Cola Journey Argentina